Logotipo Ache seu Curso

Preços de cursos EAD caíram 10%

01 de Junho de 201702

Segundo análise setorial da consultoria Hoper. Mas balanços de grandes instituições dão sinais de que podem voltar a subir

Foto: Rafael Neddermeyer (Fotos Públicas)

O valor de referência das mensalidades em cursos de graduação por meio da metodologia de educação a distância no Brasil caiu 10% em 2017, na comparação com o ano anterior. Atualmente, o valor de referência é R$ 279,00 (com um valor mínimo de R$ 120,00 e máximo de R$ 1.151,00) e o valor vem numa tendência de queda desde 2012, segundo levantamento da consultoria Hoper Educacional, divulgado ontem no lançamento da Análise Setorial da Educação a Distância - Brasil/2017, publicação anual da empresa de consultoria, especializada em educação.

Em 2012, segundo a pesquisa anual da Hoper, o valor de referência para um curso de graduação EAD no Brasil era R$ 347,98 (valor corrigido pelo IPCA). Segundo o coordenador da publicação, Paulo Presse, a queda nos valores deve-se principalmente a dois fatores: aumento da competitividade no mercado da educação a distância e agravamento da crise econômica brasileira.

Balanços indicam nova estratégia

Uma análise dos balanços do primeiro trimestre de duas das instituições com maior número de alunos a distância do pais (Kroton, com 545 mil alunos em educação superior a distância, e Estácio, com 180 mil), mostra que, pelo menos para essas instituições, pode estar se iniciando a retomada do movimento de alta dos preços, com mudança da estratégia de captação, que passa a considerar o preço, além do crescimento estrutural ou de compra de outras instituições.

O balanço da Kroton informa que, considerando a integralidade da receita e a combinação dos negócios de graduação EAD, pós-graduação EAD e a escola de cursos preparatórios para concursos LFG, o ticket médio foi de R$ 263,10, um valor 13,1% acima do registrado no primeiro trimestre de 2016, "refletindo o reajuste anual das mensalidades e um efeito ainda marginal de novos alunos com o EAD Premium (ensino híbrido), que tem uma mensalidade sensivelmente superior à verificada nos demais cursos do portfólio. Quando comparado com o trimestre anterior, verifica-se uma queda de 3,9% no ticket médio, decorrente do percentual maior de alunos captados na modalidade 100% on-line nesse início de ano".

Já o balanço da Estácio indica que, desde meados do 2º semestre de 2016, a instituição vem reestruturando o seu processo de captação e estabeleceu como sua principal diretriz o foco no crescimento do ticket médio e da receita líquida captada, e não apenas o foco no crescimento da base de alunos. A estratégia visa, além de uma arrecadação mais controlada, reduzir a evasão e as estratégias de isenção, que chegavam a até três meses de gratuidade. Segundo o balanço da instituição, na comparação entre o primeiro trimestre dos dois anos, "o ticket médio da captação aumentou cerca de 30% no 1T17, em relação ao 1T16, influenciando diretamente a receita operacional líquida do período".

COMPARTILHE A MATÉRIA

  • Michele

    06 de Junho de 2017

    Falei exatamente sobre isso hj em uma transmissao ao vivo. Como captar clientes ead em época de concorrência? https://www.facebook.com/desenhoinstrucional/videos/1275309645921371/

Deixe aqui seu comentário!

(seu e-mail não será exposto aos demais usuários)

Encontre o seu curso aqui